Cliquem aqui, http://radiovitrolaonline.com.br/, acionem a Rádio Vitrola, minimizem e naveguem suavemente sem comerciais.

.- A ÁRVORE QUE O SÁBIO VÊ, NÃO É A MESMA ÁRVORE QUE O TOLO VÊ! William Blake, londrino, 1800.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Relações amorosas longas


Algumas pessoas se surpreendem com as relações amorosas longas;  me refiro às longas mesmo; 30, 40 anos..., quase uma vida toda. Qual o segredo?!!  A responsável é a repaixão....Como na música de Lulú Santos,”Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia....”Mudamos todos os dias, quem não muda é porque se recusa aprender, é ele, o aprender que nos transforma, nos torna “outro”, um outro passível ou não de ser “nova- antiga” paixão de seu parceiro; um outro passível ou não de se reapaixonar por seu “novo-antigo” parceiro. Acredito que venha daí as tais crises nas relações de sete em sete anos... quando resistem os sete primeiros...Em sete anos não mudamos apenas pele e cabelo; mudamos idéias, conhecimentos, gostos; nos transformamos em outro. Dificilmente como somos hoje, nos apaixonaríamos por quem nos apaixonamos há vinte anos tal qual era nessa época, e vice versa.
       Crises??? Claro; ninguém mora em casinha de chocolate; as crises são as mudanças de um ou do outro ou de ambos.... À princípio assustam, causam estranhamento, depois causam repaixão...ou não...A própria palavra crise, para os gregos significa mudança,  daí o risco de se tomar decisões em momentos de crise. Devemos ter a sabedoria em aguardar a compreensão das novas mudanças, e só então ficar ou partir. Como disse o poeta....” que seja eterno enquanto dure....”mas que seja verdadeiro; sem prazos nem falsas amarras.
     Hoje, dia 28 de fevereiro de 2013 faz exatamente 37 anos que me casei, depois de 12 anos de namoro...Muito tempo...muita mudança, algumas crises, e muitas repaixões. Dia desses ouvi uma amiga, também casada há muitos anos dizer que ela e seu marido estavam prontos pra envelhecerem juntos.  Meu ouvido ouviu assim, mas minha alma ouviu que estavam prontos prá se acomodarem juntos. Devo também estar pronta pra envelhecer porque esse é o único caminho, ainda que eu lute  bravamente...Porém estou pronta para ser repaixão e me reapaixonar todos os dias para e pelo mesmo e diferente homem que acorda comigo diariamente...Que a repaixão continue a nos unir com nossas transformações, e a nos libertar de quem fomos... que continuemos aprendendo, mudando....vivendo.... juntos!

 Rosa Marin Emed


Rosinha e Luizinho, nos dias atuais, relações amorosas longas tornam-se acontecimentos incomuns e vocês, nesta data, comemorando 49 anos de uma saudável relação e 37 de casados, motivam parentes, amigos, admiradores a saudá-los efusivamente e tendo em vista sermos desprovidos de competência para apresentar a merecida homenagem, recorremos ao sítio Gotas de Luz, de quem emprestamos o vídeo abaixo para saudá-los, bastando para tanto clicar na foto do casamento.

Parabéns e muito obrigado por compartilharem com o bloguito este memorável momento.
Um grande abraço a vocês.
Sérgio.

Homens são como construções


Uma antiga professora de psicanálise me dizia, durante minha graduação, que Freud comparava a aplicação da Psicologia ao trabalho da Arqueologia. Que tudo era uma questão de escavação. E, foi assim que logo descobri que o que iria se encontrar sempre era um mistério, já que muitos tesouros poderiam estar ocultos no interior da “terra”. Mas, também, surpresas desagradáveis e dolorosas, sem dúvida, viriam à tona e teriam que ser trabalhadas, catalogadas - para não dizer nomeadas - limpas, separadas e transformadas para futuros usos, uma vez que nada é em vão, tudo tem um uso e uma razão. 
De qualquer forma, aprendi com ela e tenho comprovado na prática que realmente é assim. Pois, a natureza humana é extraordinariamente rica e não existe um único tesouro, na sua grande maioria ainda soterrado, que seja igual a outro, embora possamos compará-los para admirá-los e com eles aprendermos e aperfeiçoarmos a “técnica da escavação”.
Assim, penso que Homens sejam como construções. Quando se olham para eles, em quaisquer fases de suas vidas depois da infância, não se vem seus passados, não se sabe como foram forjadas suas almas. E, muito menos, quem contribuiu, de uma forma ou outra, com sua formação. Tudo esta no passado. No inconsciente, no fundo de suas Almas, soterrados pelo tempo e aprisionados pelo medo. Embora, como bases, sempre podem ser pontos frágeis que fazem estremecer até os pontos mais elevados, de qualquer construção. 
As construções em geral, sejam belas ou desarmoniosas, suntuosas ou simples, que perduram ao longo do tempo, também são assim. Foram iniciadas a partir dos alicerces. Mas, tão logo ficaram prontas, esqueceram-se suas bases, suas fundações. Pois, logo as enterram abaixo do nível do solo, longe dos olhos!... Mas, elas continuam lá, dando suporte para a "grande construção" ou as tornado frágeis, expostas a quaisquer vendavais. 
Ao caminhar pelas ruas e contemplar os mais diferentes seres humanos, estou sempre a me recordar que há casas simples e, também, enormes e extraordinários castelos. Mas todas as construções, independe de suas formas, possuem uma particular beleza e uma incontável riqueza que na verdade, a olhos nus, é impossível de ver. Nunca esqueço que cada uma delas tem uma missão que, de maneira simples, é sempre para acolher, abrigar e compartilhar. Pois, lá “fora” – no geral – é muito frio ou faz muito calor, quando não chove demais. 
Muitas construções quando vistas, às vezes, podem encantar por suas decorações. Fazendo esquecer que elas são passageiras e que podem se modificar. 
É claro que, por outras vezes, as decorações, dependendo da forma que foram instaladas, também, causam marcas profundas nas paredes e se tornam difíceis de serem alteradas ou nos obrigam a convivermos com elas por muito tempo. É óbvio, ainda, que tudo que adorna dá um toque especial à construção, já que a diferencia e a faz particular. 
Muitos se encantam com os decoradores e arquitetos que conhecem ao longo da sua existência, de tal forma, que acabam por esquecer o “Engenheiro”! 
Ora, mas se os homens são como as construções, que tem suas várias dependências e utilidades, é preciso, pois, valorizar todas as suas dimensões. Afinal, não somos somente corpos. Temos inteligência, sensibilidade e razão, para não falar da Alma e do Espírito que deve habitar em nossos corações. 

José Paulo FerrariQuaresma de 2013, 19 de fevereiro.

Mestre José Paulo Ferrari, muito obrigado e um grande abraço.

Cunha, além dos FUSCAS, oferece opções de passeio e gastronomia no Vale do Paraíba


===> http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/2013/02/cunha-oferece-opcoes-de-passeio-e-gastronomia-no-vale-do-paraiba.html


terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Incentivo, o qual é combustível indispensável para a manutenção do ecoeantigos


Bom dia Sergio,
Entendo sua colocação. No entanto, de tanto procurar pela sessão Saudades de Herculândia (que depois encontrei) acabei por achar a nota sobre o falecimento da Claudete, que foi uma amiga muito boa de nossa infância e parte da juventude. 

Depois, quando vim para SP acabei perdendo muitos contatos por lá e, após o falecimento do vô Aristides quase que não aparecia por lá.
Depois, quando me casei e veio o meu filho é que voltei a frequentar mais amiude as casas de meu tio e primos. Acho que foi praga de parteira, pois o garoto não saía de Herculândia, tinha uma paixão (hoje explicada) pela fazenda e por criação de animais. 
Sempre achava um tempo de poder ir com ele para a terrinha, o que foi muito bom.
Hoje, de todos os meus primos mais próximos, o grande menestrel Chico Duardo de Herculândia (não confundí-lo com o tal de Hollanda!!!) é o mais próximo de todos e adoro estar com sua família.
Quanto à Claudete, sabia espóradicamente notícias dela pela prima Ivete e só fui encontrá-la no casamento do Luiz Francisco, em Baurú, onde a ví pela última vez e encontrei com a Sueli (graças a Deus!).

Ao encontrar Sueli, encontrei o amigo Sergio e família, o bloguito e muitos outros grandes e saudosos amigos. Então meu amigo, sempre o incentivarei a manter este maravilhoso bloguito e, prometo visitá-lo dentro em breve no Tugúrio para matarmos as saudades e comermos algumas leguminosas!!!
Se achar pertinente, tem minha autorização para publicar esta mensagem no imorredouro bloguito!!!
Um grande abraço,
ZSylvio


Para melhor entender o texto supra, torna-se necessário anexar o e-mail resposta ao amigo ZSylvio, a saber;


"Olá caro amigo ZSylvio!
Não removi a sessão Saudade de Herculândia, apenas a transformei em link na lista à direita, juntamente com os demais destaques. Acredito que já não mais desperta interesse aos conterrâneos, entretanto, permanece à guisa de arquivo e em razão da sua observação, a recoloquei onde estava.
Não é só esta sessão que se esgotou, creio, o bloguito como um todo e estou desacelerando. Não pretendo postar mais diariamente, somente quando um fato que julgar importante, ocorrer, como o encontro de autos antigos domingo passado, a crônica que o José Paulo Ferrari me enviou...
Agradeço o seu interesse e atenção.
Um grande abraço a você e obrigado.
Sérgio."

Nesta oportunidade reitero o agradecimento ao amigo ZSylvio, notadamente ao incentivo de se manter o bloguito ativo.
Um grande abraço a você, a todos quantos por aqui passarem e um especial à leitora herculandense,  Carol, que não perde uma postagem.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

RECONHECIMENTO: Paz e Prosperidade entre os homens.


(Detail from Peace and Prosperity. Mural by Elihu Vedder)

Não importa a raça, o momento na história. Não importa o povo, a nação ou a sociedade, sempre houve e sempre haverá entre os homens almas destemidas, providas dos princípios de Justiça, de Igualdade e Liberdade. Almas que, naturalmente, se rebelam e insurgem contra as injustiças sociais, o autoritarismo e a corrupção, lançando mão de suas próprias habilidades, crenças ou convicções.

E, embora, possa até mesmo lançar mãos, em alguns momentos, da violência, suas ações repercutem através dos tempos, como uma efetiva contribuição para a humanidade. Como um ensinamento ou exemplo. Um alerta ou um apelo para o futuro.
Sejam pelos exemplos de suas ações ou pelas suas palavras, que encontram ecos nos corações mais sensíveis e abertos às causas sociais, tais Almas são como sementes de Paz que se nutrem do Amor Incondicional e espalham o sentimento da Esperança por todos os cantos da Natureza.

A grande marca, o quilate – talvez - de tais das Almas que fazem história, além do ideal, seja a fé em um porvir e a convicção em suas ações. Pois, eles - de maneira geral - sempre acreditam em um sonho que vagueiam em seus corações e que sem mantem vivo e perene em suas mentes, como um ideal de liberdade a ser conquistado em prol de outros.

Obviamente, tais Almas passam pelo crivo do julgamento social e seus ideais ou formas de ações podem ou não encontrar apoio, referendo, na compreensão popular em um momento ou outro. Já que muitos, em determinados momentos são vistos como heróis e, em outros, como mercenários, bandidos ou simples revolucionários. Mas, o certo é que suas vidas são marcadas não pelos seus interesses pessoais, mas pela busca do bem, da liberdade do outro, além dos sacrifícios e das renúncias pessoais.
Algumas fizeram história com frases e orações. Outros, com atos e ações.

De alguma forma, sempre nos ensinam que é, pois, preciso acreditar para realizar. E, se preciso for, morrer, através do sacrifício consciente, para a Justiça prevalecer.
Muitos, embora sacrificados em benefício de outros, jamais foram conhecidos ou reconhecidos e, portanto, não podem ser lembrados. São os chamados heróis anônimos ou desconhecidos.
Outros são exaltados eternamente ou em um período ou outro, já que a compreensão humana sobre justiça muitas vezes, também, podem se afastar da Ética e compreender ou não as ações ou atos sociais.
 O mundo em que vivemos esta longe daquele que sonhamos ou desejamos para todos os nossos irmãos de humanidade. Mas, não há como nãos sermos gratos, ao menos, aqueles que de alguma forma contribuíram para as verdadeiras conquistas e avanços sociais. Aqueles que construíram, até mesmo com suas vidas, estado de liberdade e de paz.
As imagens que ilustram este simples textos é uma evocação a alguns heróis que constituem minha memória de simples menino do interior, nascido no final dos anos quarenta neste país e que viveu a década de 60 na esperança do encontro com a Paz.
Bem sei que muitos - como eu - também almejaram e continuam a sonhar com o momento em que nunca mais o homem precise pegar em uma arma para defender os direitos de cidadania, ou simplesmente lutar para sobreviver.

José Paulo Ferrari – Quaresma de 2013, 20 de fevereiro.

Mestre José Paulo, muito obrigado e um grande abraço.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

CHEGA DE INSANIDADE; Desembargador Pedro Valls Feu Rosa Presidente do Tribunal de Justiça

Quero convidá-lo a um exercício mental. Comece imaginando uma penitenciária que não tenha guardas - nem armados, nem desarmados. Pense nos próprios presos tomando conta das instalações, de forma absolutamente ordeira!

Tente conceber, em seguida, que as chaves das celas fiquem permanentemente em poder dos próprios presos - que sejam eles a abrir e fechar as portas de forma absolutamente responsável. Agora respire fundo e tente visualizar a cena de detentos escoltando outros - algemados, se necessário - rumo ao Fórum para alguma audiência.
Para os casos de indisciplina, construa mentalmente uma comissão de presos julgando e penalizando seus companheiros com absoluto rigor. Acrescente uma pitada de pimenta nesta ideia: que cada caso seja devidamente...

Continuem lendo AQUI

QUATRO ANINHOS HOJE



===>


Quaresma, momento de transformação

A Quaresma, embora vista por muitos como um período celebrado somente pelos povos cristãos, na verdade, tem outras relações com várias tradições. Como é o caso do período lembrado pelos judeus, que marca os quarenta dias que precede a semana da Pascoa, na eterna evocação da libertação do seu povo do cativeiro. Ou, ainda, do ciclo invernal que antecede o período primaveril, do divino florescer dos antigos povos celtas e de muitos outros que veem neste ciclo um profundo significado. Assim, neste momento quaresmal, não só a Igreja propõe o isolamento e a interiorização, na busca da compreensão da razão da Vida, através de sua prática proposta na Campanha da Fraternidade, mas também é a própria Natureza que nós prepara para a chegada do Outono, a estação que demarca o verdadeiro início do ano zodiacal, uma vez que no próximo dia 20 de março o sol cruzará equador celeste e lançará seus primeiros raios sobre o signo de Aries, anunciando um novo ciclo natural, uma nova estação em ambos os hemisférios. Por essa razão, no hemisfério Norte, neste período, por exemplo, ainda se vê manifestada agora a fria e dolorosa estação da transformação, que prepara silenciosamente, no interior da terra coberta pela branca neve, o germinar da semente e o novo florir. Pois, lá chegará - após o intenso e transformador frio - a Primavera. Enquanto que aqui, no dia 20 de março, o Outono se anunciará, trazendo novas possibilidades de realização, já que o glorioso Sol, neste dia, iniciará seu processo alquímico lançando sobre o primeiro signo zodiacal suas energias benfazejas da vitalização. E, assim, um novo ano zodiacal se iniciará, como deverá também deverá começar em nós um novo ciclo de vida e de realização, já que o primeiro signo, a "primeira tarefa" do velho Espírito, ou do antigo Hercules que habita em nós, nos dará a oportunidade de renascer... De novo voltar do interior da terra, que se cobriu do branco da purificação da fria estação, para uma nova marchar recomeçar e novas obras realizar! Pensemos com determinação, pois, a razão de tudo neste momento de interiorização. E, oferecendo oportunidade para a manifestação do suave sentimento que sempre habita nossos corações, busquemos - na Quaresma - compreender o Homem, a Natureza e as Leis do Supremo Criador, permitindo assim, também em nós, a exemplo da Natureza, o eterno renascer do Novo Homem moldado pelas nossas próprias ações. Tomemos como exemplo, ou por simples relação, a Via da Paixão e todos os momentos que antecederam a crucificação. Mas, sobretudo, lembremo-nos da Ressurreição e alimentemos em nós o verdadeiro sentimento da Esperança e do Perdão. E que todos sejam levados, nesse período, a uma profunda reflexão! 
José Paulo Ferrari – 
Quarta-feira de Cinzas de 2013.
Caro José Paulo, muito obrigado. Um grande abraço.

Pedro Akio Tukamoto nos envia mais fotos antigas de Inúbia Paulista


caro Sergio.
 Lembro o nome de quase todos mas coloquei apenas alguns que talvez vc lembre. 
Abçs 
Pedro Akio Tukamoto





Cliquem que amplia.

Caro Pedro, me lembro bem do Koji Yamamoto dando umas voltas com  o Ford 1934 do seu pai.. Creio que estas fotos são do período em que eu já não mais morava em Inúbia. Muito obrigado Pedro e um grande abraço a você.




Pedro Akio deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Pedro Akio Tukamoto nos envia mais fotos antigas d...": 

Caro Sergio,
A 2ª foto acho que vc não deve ter reconhecido. É o Grupo Escolar de Inúbia onde nós estudamos. A 4ª foto foi tirada em 1958 e eu já não morava mais em Inúbia por isso nem eu e nem o Hélio Ikeda estamos nela. Abç.
Pedro Akio Tukamoto  
=========================
Prezado Pedro, no dia que postei, realmente não havia reconhecido, posteriormente, revendo as poses, forcei um pouco a memória e me veio nítida a lembrança, com detalhes, o galpão do recreio onde tomávamos a sopa, as salas de aulas,  o consultório dentário da competente Dra. Lyly e até hoje mantenho obturação efetuada por ela em um molar, o porão, onde um dia o Renato escreveu escondido com giz a frase "B"C#T@  DE  VITÓRIA". Foi instaurada uma CPI e a troca do DA pelo DE, o incriminou. k k k.
Obrigado Pedro e um grande abraço a você.
Sérgio.