Cliquem aqui, http://radiovitrolaonline.com.br/, acionem a Rádio Vitrola, minimizem e naveguem suavemente sem comerciais.

.- A ÁRVORE QUE O SÁBIO VÊ, NÃO É A MESMA ÁRVORE QUE O TOLO VÊ! William Blake, londrino, 1800.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

HERCULÂNDIA/SP desponta na produtividade do café, graças à competência do eng° agrônomo Francisco Eduardo Bernal Simões, com seu trabalho de pesquisa, reconhecido pelo IAC - Instituto Agronômico de Campinas

Esta matéria, com certeza, motivará o orgulho dos filhos do nosso torrão natal, e o ecoeantigos se sente gratificado por ser o órgão de comunicação  a abrigá-la.

No dia  27 de junho de 2012 escrevemos;

Sentimo-nos honrados em receber este convite, expedido pela Diretoria Geral do IAC, por indicação do homenageado herculandense,  Dr. Francisco Eduardo Bernal Simões, o qual será agraciado na Categoria Externa, como Produtor Rural.

Aproveitamos o ensejo para parabenizar o "Chico Herculândia", seu apelido na Universidade onde se doutorou, em Piracicaba, numa das Instituições de maior destaque do nosso País, ao tempo em que externamos uma pontinha de orgulho pela relação de amizade com profissional de tamanha envergadura, demonstrando que o nosso Torrão Natal tem muito contribuído para o progresso da nossa Nação.

  Um grande abraço caro Eduardo, muito obrigado pela consideração e o mostramos abaixo em alguns ótimos momentos de sua profícua existência.

 Estas imagens são um atestado vivo de que, decorrido um ano do reconhecimento ao trabalho de pesquisa pelo IAC - Instituto Agronômico de Campinas, seu realizador colheu os bons frutos de sua obstinação, apesar das condições climáticas não muito favoráveis.

 Percebe-se na colheitadeira, que trabalha noite e dia,  a marca JACTO, produto da indústria situada na vizinha Pompéia, demonstrando a pujança da região da Alta Paulista.


 Oportuno revermos tudo o que ocorreu naquele festivo  27 de junho de 2012, postando a seguir os links que direcionarão nossos leitores àqueles momentos inesquecíveis, onde estávamos rodeados pelos verdadeiros sustentáculos da plataforma que eleva o nosso querido e, tão maltratado Brasil, à condição da 6ª economia mundial, que  são os senhores Produtores Rural.

 Cheguei a demonstrar ao Eduardo o meu entusiasmo e emoção ao ouvir a execução do Hino Nacional Brasileiro, no lotado auditório daquela centenária Autarquia, composto por esta classe laboriosa. O pedacinho do vídeo abaixo, com duração  pouquinho maior de um minuto, retrata este posicionamento.

video

Serei grato até o infinito por ter sido inserido neste contexto, reafirmando minha eterna ideologia da MERITOCRACIA.


04 - DISCURSO DA SECRETÁRIA MÔNIKA===========> AQUI

05 - IMAGENS FOTOGRÁFICAS (ESTÁTICAS)=========> AQUI


06 - IMAGENS EM MOOVIMENTO==================> AQUI

07 - RAUL RIBAS ENALTECENDO==================> AQUI


08 - JOSÉ PAULO ENALTECENDO=================> AQUI




E, para variar,  VIVA O CAFÉ!!!!!

video

Abração Eduardo e mais uma vez, PARABÉNS!

10 comentários:

  1. Caro Sérgio, obrigado pelas palavras, são um grande incentivo para mim nesta difícil luta de produzir num País como o Brasil. Hoje o preço do café não paga o custo de produção, mas não podemos desanimar. Temos que trabalhar sempre com dedicação e entusiasmo.
    Obrigado de coração.
    Eduardo

    ResponderExcluir
  2. PARABENS SERJÃO PELA BELA POSTAGEM
    O 1º mundo não produz café, mas se o produzissem com certeza as técnicas apuradas vistas nas imagens não seriam diferentes! Verdade que, se somos conhecidos no mundo pelo nosso futebol e nosso carnaval, o que poucos sabem é que nos últimos anos, não mais pela quantidade, mas pela QUALIDADE, nosso café nos dá renome! Sei, por exemplo, que numa cafeteria da velha Itália café que não seja brasileiro é palavrão! Da Inglaterra, semana passada, recebi de meu genro Jafar Safazadeh, através de minha neta Soraya em gozo de férias no Brasil, o seguinte recado e pedido via skype: minha filha está levando pra vocês um pouco do nosso melhor chá, mas, por favor, não se esqueça de me retribuir com 01 Kg de café brasileiro com aquele gostinho e aroma insuperável. Acredite quem quiser, mas juro que ao ouvi-lo me senti muito mais “verde-amarelo”, pois o tom era de quem estava pedindo whisky a um escocês; vinho a um francês; azeite a um português; caviar a um russo, etc. Não sei bem o porquê, mas ao ver esta postagem no ecoeantigos.com veio-me à memória a figura do velho Abreu Sodré, por sinal de grande notoriedade como político, governador de São Paulo e líder da velha UDN, mas muito pouco conhecido como grande líder defensor da cafeicultura e dos cafeicultores no Brasil com destaque para o período no qual a exportação do café sofria mesmo nos piores anos, o assalto do odioso cofisco cambial. Bem, mas o homenageado aqui hoje é o nosso elegante concidadão do meu querido amigo Sérgio Garcia, o Eng° Agrônomo Francisco Eduardo Bernal Simões, a quem rendo minha humilde homenagem por tudo que de bom o frutuoso tem oferecido, ao longo dos anos, em prol da cafeicultura brasileira.
    RAUL RIBAS

    ResponderExcluir
  3. Cafezal, só se for e é na fazenda dele, porque na zona rural de Herculândia só se vê invernada e agora no lugar dos pastos, canavial kkk
    Antero

    ResponderExcluir
  4. Olá Antero, bom dia;
    Muito obrigado por frequentar o ecoeantigos e pela sua participação aqui nos comentários.
    Você disse muito bem e confirmou a nossa afirmativa;
    O cafezal, lindo por sinal, é exatamente na Fazenda do Chico Herculândia. Cafezal este, recuperado após ser atacado pela praga "nematoide", a qual afetou severamente a produção e a produtividade cafeeira paulista e coube a Herculândia abrigar um técnico que desenvolveu cultivar resistente a esta praga, cujo trabalho de excelência foi reconhecido pelo famoso e centenário IAC - Instituto Agronômico de Campinas, cuja cerimônia de premiação tivemos o prazer da compartilha e registro dos fatos. Nós, os herculandenses, não imaginamos a abrangência desta pesquisa, a qual permitirá a recuperação da produção deste grão na locomotiva do maltratado Brasil, que é o nosso Estado.
    Recorri ao portal WikipédiA para ressaltar o significado do termo que usei, PRODUTIVIDADE, o qual, obviamente, difere de "PRODUÇÃO", a saber; """A produtividade é basicamente definida como a relação entre a produção e os factores de produção utilizados. A produção é definida como os bens produzidos(quantidade de produtos produzidos). Os factores de produção são definidos como sejam pessoas, máquinas, materiais e outros. Quanto maior for a relação entre a quantidade produzida por factores utilizados maior é a produtividade."""
    Um grande abraço a você Antero.
    Sérgio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Sérgio e um bom feriado!

      Se frequento é porque encontro coisas interessantes.
      Herculândia sempre deu excelentes frutos, são muitos herculandenses que honram o nome cidade onde nasceram e não tem vergonha de citá-la, por exemplo você, o Eduardo, a Rosinha, O José Sylvio, o filho do sr.Antonio Braga, irmão do Beto do supermercado que não me recordo o nome etc
      Uma coisa que marcou muito minha infancia em Hercuândia foi a colheita do amendoim, nossa Sérgio, era muitos caminhões cheios de pessoas para a lavoura, a oferta era tão grande que os agricultores pegavam pessoas da região, sei disso porque o meu pai era um deles, hoje da para contar no dedo os que ainda continuam cultivando o amendoim e os poucos que ainda restam, usam a tecnologia, por exemplo a chocoalhadeira etc
      Um grande abraço Sérgio.
      Antero.

      Excluir
    2. COLHEITADEIRA DE AMENDOIM, é como está escrito na máquina.
      Jorge Borges

      Excluir
    3. Se na máquina está escrito assim, com certeza deve ser a correta.
      Agora que notei, o verbo é chacoalhar, ou seja, chacoalhadeira. Lembrando que a colheita de café é toda mecanizada, pois aparece uma colheitadeira de café. Novos tempos!
      Antero.

      Excluir
  5. Sergio, vendo essas fotos e seguindo sempre com especial interesse o trabalho dos meus primos Francisco Eduardo e Francisco em Herculândia, fico radiante e orgulhoso de fazer parte desta família de trabalhadores incansáveis e valorosos, de reconhecida capacidade, inovadores, sempre acreditando que um dia a "coisa" vira e a atividade agrícola tenha reconhecido seu real valor.

    ResponderExcluir
  6. Caros amigos Raul Ribas, Sergio e primo Sylvio. Estive fora por alguns dias, com computador e celular desligados para poder relaxar um pouco desta luta . Somente agora li os comentários do ecoeantigos, muito obrigado pela divulgação e palavras de incentivo e reconhecimento do nosso trabalho. Continuaremos na luta com dedicação e idealismo.
    Um grande abraço a vcs.
    Eduardo

    ResponderExcluir
  7. Caros amigos Raul Ribas, Sérgio e primo Sylvio. Estive fora do Brasil por 10 dias e somente agora li o ecoeantigos. Obrigado , sou grato a vcs pela divulgação do nosso trabalho e pelas palavras de incentivo.
    Obrigado de coração e um forte abraço a todos.
    Eduardo

    ResponderExcluir