Cliquem aqui, http://radiovitrolaonline.com.br/, acionem a Rádio Vitrola, minimizem e naveguem suavemente sem comerciais.

.- A ÁRVORE QUE O SÁBIO VÊ, NÃO É A MESMA ÁRVORE QUE O TOLO VÊ! William Blake, londrino, 1800.

domingo, 17 de novembro de 2013

TUDO É FINITO

FATOR RELEVANTE IX
23 julho 2014

A exceção Daquele que é um espírito perfeitíssimo, eterno, criador do céu e da terra, não teve princípio e não terá fim, esta a definição que na adolescência aprendi no Colégio Dom Bosco de Tupã, tudo é finito, tudo tem a sua hora e, a do querido Flávio Rivero Rodrigues, que no ano de 1941 nasceu nesta mesma Tupã, chegou ontem, suave, durante o sono, na madrugada.


No final da década de 70, honrados por compormos a equipe do Arnaldo Manoel Alves, ancoramos em Pindamonhangaba, na época, com aproximadamente 60.000 habitantes, com a missão de acionar a gigante VIBASA - Villares Indústrias de Base S/A, incumbência motivadora que nos trouxe enorme satisfação profissional e pessoal.


Desbravamos o Jardim Residencial Dr. Lessa, bairro composto por 520 lotes, onde somente dois estavam edificados e tive a sorte de me situar na mesma rua do Flávio, distante a exatos sessenta metros de sua propriedade e com o financiamento do BNH - Banco Nacional de Habitação concluímos nossas moradias, até os dias atuais, tendo o Lessa índice de ocupação da ordem de 80% e a cidade conta com aproximadamente 140.000 habitantes.



Ilustrando a homenagem que ora presto ao colega, amigo e vizinho, transcrevo escritos de 18 de janeiro de 2013;

"Serjão,
Devo confessar: chorei.
Chorei ao relembrar os bons tempos que vivemos na Vibasa, com o "grande amigo" Arnaldo, Ciço, Conceição, Gê Miguel, Sofiatti, Zamaro, Neusa, Paulo Prado, Rossi, Bechara, o *safado do Cury, além dos que já nos deixaram, como o inesquecível Rubão, Mafetano, Silvio Cozzi, Carlão, Filgueira, Jamil e outros que a memória deste setentão já não alcança. Todas as dificuldades (muitas!) enfrentamos e vencemos, transformando uma usina daquele porte, sem estradas asfaltadas, poeirenta ou barrenta, gélida no inverno e insuportavelmente quente no verão, em realidade produtiva. Quanto sofremos, mas eramos felizes. Eramos todos solidários, amigos verdadeiros.
Vale a pena chorar por aqueles tempos que já não voltam mais.
Flávio Rivero Rodrigues"

Foto do Lessa hoje.

" E o corpo volta à terra, ao pó, como o era. O espírito vai a Deus, que o deu."

Descanse em paz querido Flávio Rivero Rodrigues.
* A intimidade entre o Flávio e o Cury, permitia este tipo de brincadeira. 

19 comentários:

  1. Mas, o Amor é infinito....

    Meu querido e bom amigo Sérgio, reverenciar almas que compartilharam conosco a existência é reconhecer a imortalidade do Amor que tem sua expressão máxima na solidariedade, na amizade e no eterno reconhecimento que se revela pela gratidão. Gratidão pela própria vida.
    Assim, quando expressamos nosso Amor pelos nossos semelhantes, especialmente pelos nossos amigos que outrora dividiram conosco as mais diversas experiências da vida, de aprendizado, tornamos - de certa forma - nossos amigos, nossos semelhantes, imortais, infinitos, já que quem é lembrado sob a inspiração do Amor não morre jamais!
    Possamos assim, meu querido amigo, sob a inspiração do Amor imortalizar aqueles que, pelas divinas leis do próprio Amor que aproxima e une as pessoas, estiveram e estarão sempre compondo o universo particular de nossas Almas.
    Bendito é o homem que encontra em seu semelhante a expressão de Deus!

    Saúde e Paz, meu querido!

    José Paulo

    ResponderExcluir
  2. Sergio,

    Não conheci seu amigo Flavio, mas pelo relato se vê que foi pessoa querida, estimada e companheira.
    É o ciclo que se encerra, da vida com inicio, meio e fim. É inevitável.
    Mas ficam as marcas, os filhos e a continuidade pelo exemplo, pelo bom exemplo.
    Que as boas lembranças superem a dor da perda.
    Um abraço do amigo.

    Aldo

    ResponderExcluir
  3. Serjão

    Nosso divino criador nos juntou, em Pinda, para realizar uma obra que acabamos por cumprir com reconhecido êxito e muito orgulho para cada um de nós. Cada um fez sua parte. Todas as pessoas que ELE aproximou tinham um propósito. Com elas, que se tornaram nossos amigos e amigas, tivemos a oportunidade de aprender e, ao mesmo tempo, ensinar alguma coisa, em prol do nosso crescimento pessoal e espiritual. Depois disto, porém, a vida continuou, cada um na sua trajetória, até o final da sua plena missão na terra. Nosso querido amigo Flavio, concluiu sua missão e daqui partiu. Resta-nos agora as recordações sobre o modo calmo e sereno de como abordava e solucionava as questões que se lhe apresentavam, sempre de forma conciliatória e com exímia competência. Nossa emoção, pela partida de um amigo, se dá por conta do AMOR que ELE nos ensinou a dedicar ao nosso próximo. Flavio esta agora em companhia do PAI.
    Um grande abraço, meus sentimentos e condolências à família do nosso amigo e companheiro de trabalho.
    Sofiatti

    ResponderExcluir
  4. Com o passar dos anos, você não perde amigos: Descobre os verdadeiros.

    ResponderExcluir

  5. Jose Roberto Cury para Raul Ribas
    Jose Roberto escreveu: "RIBAS; Voltei no tempo e recordei como conheci o Flavião. Ainda na Alexandre Levi, quando. ainda compúnhamos o nosso RH para início de atividades em Pinda, surge o Arnaldo para dar o "toque" final. Foram momentos de muita turbulência, uma vez que até então só existíamos eu, Figueira, Paulão, e Sofiatti, todos subordinados ao André Ragusa. Houve então uma mudança de rumo, e o Arnaldo promovendo mudanças visava contratar um profissional com um perfil que julgava mais adequado para chefiar o RH. Isso posto colocamos anúncio e tivemos um retorno de aproximadamente 350 currículos candidatando-se para o cargo. Então, Arnaldo o "terrível" pediu-me para selecionar os 20 melhores para que ele então pudesse analisar. Feito isso, colocado a apreciação os 20 "melhores" para análise ele alegou não haver tempo pra tanta analise e, que eu então tirasse os dez melhores para sua análise. Dos dez melhores, ele pediu que tirasse apenas cinco. Dos cinco pré-selecionados, em conjunto analisamos, sobrando apenas 2. Eu, já impaciente com a maneira dele conduzir o processo convoquei então os dois finalistas para entrevista. Após entrevistá-los passei para o Arnaldo . Posteriormente voltamos a conversar e ele então seriamente falou-me; eu já tenho o meu candidato e seu nome está anotado nesse papelzinho....agora quero saber qual é sua escolha e, aí então vou saber na mão de quem eu estou colocando para supervisionar o setor de Recrutamento e Seleção. Disse mais; escolha direito, talvez venha a ser o seu chefe. BINGO. Aquele cara, oriundo da Ford, que apareceu para entrevista, calça cinza e paletó quadriculado no mesmo tom, agradável e simples desde o primeiro momento, foi meu chefe, meu amigo e irmão. Esse "causo" o Arnaldo haverá de lembrar. Faço-o agora pra ti, porque seu da sua estima e consideração por ele."

    ResponderExcluir
  6. Oi Sergio

    Não consigo acreditar .......

    Retrocedi no tempo e ficou muito viva a nossa luta pela Vibasa e o Flávio aparece bem e tão claro nas imagens que será difícil acreditar na perda.

    Manfredini

    ResponderExcluir
  7. Não conheci. Mas pelo seu carinho deve ter sido um grande cara.

    ResponderExcluir
  8. quando entrei na Vibasa era ele o comandante do RH, lamentamos a perda.
    Paulo Socolowski 24 julho 2014

    ResponderExcluir
  9. Perdi mais do que um Amigo. Perdi o caminho que durante tantos anos na Villares e na Santher, me conduziram e me protegeram com um verdadeiro Anjo da Guarda. Choro esta triste insuficiência humana.
    GeraldoMiguel
    Favor abrirem anexo. Grato.


    ADEJOS INEXPLICÁVEIS...
    (23/7/2014)

    A alma da vida descarrilou,
    perdeu um pedaço de sua sensatez
    – por que deixá-lo ir agora?
    Tão cedo, tão cedo... –,
    justamente o pedaço que move a alegria,
    a delicadeza,
    o gesto magnânimo, grácil
    e sensato,
    o gesto que enobrece pequenos gestos,
    que investiga, compreende e açambarca
    o sofrimento de frágeis e oprimidos seres humanos.

    A Vida perdeu um pedaço meigo de si mesma,
    um pedaço dócil,
    efusivo,
    egrégio,
    grandíloquo...
    Um pedaço de seu brilho respeitável
    e, por momentos de adejos indeléveis,
    os corações de uma claque,
    diuturna e leal,
    permaneceram, inanes,
    como um mar
    que se agita vagaroso
    e, meio sem jeito e sem ondas,
    se perde sem pressa e confuso
    à beira de um belvedere
    que abriga o clamor
    de muita dor
    de prostrados soldados diante de
    perda irreparável ...

    Os Amigos – ou a Vida? –,
    nesse momento de pranto,
    navegam em zigue-zagues, atônitos,
    e, num torvelinho recheado de sentimento de angústia,
    cantam o ‘laudate Dominum’,
    pedindo a Deus que conceda Paz e eterna alegria
    àquele Ser Humano e Profissional provecto,
    que preencheu, provecto, cada desagravo,
    sendas sem lucernas,
    com discernimento,
    bom humor, sagacidade,
    sentimento de dignidade, tolerância.
    Amigo benfazejo,
    teu Espírito há de caldear o nosso caminho
    aqui na Terra,
    teus sorrisos e Alegria continuarão
    benfazejos, espontâneos e translúcidos,
    singrando nessa mixórdia que é
    a Vida...
    Prosternamo-nos diante de tua Alma,
    plangendo muito,
    plácidos todavia,
    que sabemos que, sem jactância,
    porém ledo e afável,
    recebeste a coroa de louros
    Daquele que nos privilegiou com a Vida.
    Sê o mesmo daqui, querido Amigo,
    Não precisa mexer em ti
    em nada, nada...

    ResponderExcluir
  10. Bom dia!



    Lamento muitíssimo a perda do Flávio. Eu gostava dele bem mais do que consegui demonstrar.

    De Deus, virá o conforto para familiares e amigos.



    Abraços a todos!

    Verônica

    ResponderExcluir
  11. Caros amigos!

    Fomos todos pegos de surpresa.

    Tive a felicidade de trabalhar na equipe do Flávio - com o Gê - logo no meu primeiro emprego após formado.

    Foi uma grande escola.



    Que Deus Ilumine o caminho do nosso "Guru" e de sua família.

    Saudades!

    ResponderExcluir
  12. Geraldo e amigos,

    O Flavio onde passou deixou sua contribuição para nossas vidas. Sempre disposto a ouvir e de forma serena com seu jeito de ser apresentava as respostas.
    Teve para a minha carreira a pessoa que aprovou minha ascensão em conjunto com a avaliação deste amigo Geraldo Miguel.
    Forte abraço a todos.
    Mario Aguiar Souza

    ResponderExcluir
  13. De fato, uma noticia que afeta a todos nós, pois o Flavio era uma figura, que alem da liderança nata, tinha um carisma de poucos, uma falta a ser sentida.
    Geraldo Pereira de Oliveira
    Advogado - Consultor

    ResponderExcluir
  14. Arnaldo Manoel Alves29 de julho de 2014 21:41

    Sergio

    Que linda publicação e homenagem, digna do Flavio, e que coloca de forma tão presente nossa história de vida, nossa amizade e realizações.
    Voltando no tempo fomos realmente felizes, e vivemos momentos tão felizes e preciosos e disso podemos nos orgulhar.
    Se você encontrar a Shirley por favor de um abraço apertado por mim.
    Como e bom te- lo no coração tatuado com sua imagem e da Angela que carregarei enquanto viver.
    Um abracao
    Arnaldo

    ResponderExcluir
  15. Arnaldo, ontem estive com a Shirley e ela me informou que você a contatou. Muito obrigado pelo carinho e saiba que a recíproca é verdadeira. Vindo a Pinda passe por aqui novamente, teremos enorme prazer em recebê-los.
    Abração Grande Chefe Arnaldo.
    PS: Depois da VIBASA, Pindamonhangaba nunca mais foi a mesma e temos orgulho por termos uma pequena parcela neste desenvolvimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arnaldo Manoel Alves2 de agosto de 2014 13:14

      Sérgio
      Cada um e único...e todo o nosso time tinha características marcantes e que somavam um poderoso conjunto...podemos descrever a cada um de forma tão precisa quanto dos instrumentistas em uma orquestra... Quando, como o Flavio nos deixa, o seu de seu instrumento se apaga, mas a música continua a tocar nos nossos ouvidos, pois ficou gravada na alma da nossa existência.
      Foi muito você encontrar com a Shirley, pois sei que ela precisa do afago dos amigos.
      Com certeza quando encontrá-la será um abraço longo de emoções acumuladas pelo tempo e pela distância.
      Arnaldo

      Excluir
  16. Meus amigos.

    Que triste notícia. Flávio é uma das pessoas que marcam em nossa vida pessoal e profissional e deixa muita saudade e alegrias do tempo que estivemos juntos.

    Tenho um carinho muito grande pelo Flávio e estava recordando esses tempos de algumas pessoas com quem aprendi e outras que desaprendi. Flávio esta entre as grandes pessoas que conheci e que muito aprendi.

    Grande abraço a todos , sentimentos à família e para nós , nos resta guardar as excelentes lembranças do eterno amigo e mestre.

    Abraço a todos.

    Jorge Paulo

    ResponderExcluir
  17. Amigo Ge Miguel, grande perca mesmo, o amigo Flavio que com a sua paciência e seu jeito peculiar em se expressar muitas pessoas ensinou, pois a mim muito contribuiu ao meu aprendizado profissional, deixa saudade, porem o céu esta em festa , pois recebeu um grande filho, que hoje esta a serviço do criador .

    Abs

    J. C. Almeida

    ResponderExcluir
  18. Seu Flavio, como gostavamos de chama-lo, descanse em paz...
    Por um curto tempo, porem muito importante pra mim, tive a honra de conhecer e conviver com o Seu Flavio e sua querida familia...
    Toda vez que penso no seu Flavio ou vejo sua foto, vem imediatamente a minha lembranca o jeito que ele nos chamava ` E ai mulecada` mostrando seu polegar sempre dando um sinal positivo... Essa eh a minha lembranca que carregarei comigo, o camarada bonachao e amigo de todos...
    Que Deus abencoe Dona Shirlei e as criancas e que os traga paz e consolacao no momento dificil da perda.

    jm

    ResponderExcluir