Cliquem aqui, http://radiovitrolaonline.com.br/, acionem a Rádio Vitrola, minimizem e naveguem suavemente sem comerciais.

.- A ÁRVORE QUE O SÁBIO VÊ, NÃO É A MESMA ÁRVORE QUE O TOLO VÊ! William Blake, londrino, 1800.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

A casa de pedra no alto da Serra da Matiqueira

.

Nosso primo Antônio Carlos Junqueira Ribeiro, o Caly-Caly, filho da Nilza, nos escreveu dizendo que estava com saudade de vocês. Por isso fomos visitá-lo nas montanhas e fazer com ele uma grande reportagem.
.
O Caly construiu, no alto da Serra da Mantiqueira, uma confortável casa de pedra. Detalhe: a estrada não chega até o terreno dele. O material de construção foi transportado em lombo de mula. Hoje ele mora lá com sua companheira Adarah que compartilha com ele o sonho que pouca gente tem a coragem de realizar: largar tudo na cidade e ir morar no alto da montanha, junto com a mãe-natureza.
Nossa reportagem tem 20 minutos, mas sua paciência de assistir até o fim será recompensada com as belíssimas imagens da Serra da Mantiqueira.

.
Léo
.

.
Jornalista Leônidas Galvão Avellar Pires, muito obrigado por mais esta interessante reportagem e um abraço.

3 comentários:

  1. Oi, Garcia.
    Muito obrigado, fico realmente muito orgulhoso de ir parar no bloguito mais uma vez.
    Tenho certeza de que as pessoas com quem convivemos durante tanto tempo sentem alegria em nos ver de vez em quando, assim como eu me senti tão contente em saber da Conceição, do Pai da Matéria e, por que não dizer, senti-me profundamente grato de alguém ter-me noticiado sobre o passamento do Filgueira, o qual pude rever em fotos e vídeo que vc publicou.
    Foi também uma alegria visitá-lo aí no Lessa e ter tido a divertida surpresa de saber que vc tornou-se "sócio-produtor" da famosa TONTOLA!... Cuja cana-de-açúcar vem do... terrenão ao lado da casa do Garcia!! Eh, eh, eh! Tudo isso faz bem pra gente, traz alegria de viver, aquece o coração.
    Veja você. Um primo maluco meu, isolado no alto da montanha, me manda um e-mail dizendo que está com saudade dos familiares. E recorreu a quem? Ao bloguinho da nossa família. Então, nossos bloguinhos são importantes e fazem a diferença na vida das pessoas, sim.
    Enviei o vídeo para vc por causa da curiosidade de como foi construída a casa de pedra (por meio de caminhos longos e difíceis e com muita tenacidade e força de vontade do primo "bicho-grilo" e "ripongão" (hippie), que deixou a advocacia de lado e disse: "Se Maomé não vai até a montanha, eu vou!" - E foi mesmo!!

    E ainda encontrou uma alma gêmea para viver o sonho junto com ele. É uma história interessante pois ele, por sua vez, para que não tivesse sua vida destruída, largou a "mardita" cachaça na qual andou terrivelmente se afundando num passado próximo.
    Salvou-lhes a vida essa vereda meio religiosa e meio maluca na qual entraram agora. O importante é que estão felizes, cada um encontra a sua felicidade do seu jeito, não nos cabe julgar ninguém, cada um é um, cada um é único e indivisível (indivíduo), cada qual com seu jeito de ser, essa é a verdade.
    Além disso, temos no vídeo a lindíssima paisagem da nossa Serra da Mantiqueira, que também é linda nos campos de Pindamonhangaba. Muito obrigado, mais uma vez, então, de divulgar o nosso trabalho no bloguito que, uma vez mais, vai levar algo de bom aos nossos velhos colegas Vibasiados de guerra, fazendo-os sorrir ao ver que estamos vivos, bem e trabalhando para mostrar-lhes o que temos de muito bonito e de bom em nosso Vale do Paraíba.

    Aquele abraço apertado e.... Viva a Tontolinha, hic!
    A Benê mostrou a Tontola que ela ganhou aí de você, e não quis dar para mim de jeito nenhum!! Grrrrrr!....

    Léo.

    ResponderExcluir
  2. Elza Anéas Rodrigues Costa2 de abril de 2011 14:57

    Gente!! Que legal ter notícias de vocês, principalmente de você Léo.
    Eu e Lorenço gostamos muito da matéria sobre a "Casa de Pedra".
    Você continua nos supreendendo com suas matérias. Estão comigo e cadernos grandes com todos os jornais "LINGOTÃO", nosso jornal do passado. Registro de todas as notícias da época da VIBASA. As vezes eu pego e ficou olhando e morro de saudade. Esse material é da Celeste (que ainda está lá na Gerdau também). Ela morre de ciume desse matarial.
    Um beijo grande para todos.
    Elza

    ResponderExcluir
  3. Edna Soares Ferreira20 de agosto de 2011 19:17

    Leo, cadê ocê?? Assistimos o vídeo e adoramos. Vc é D+. Quero fazer este passeio e conhecer a Casa de Pedra. Mande prá nós o seu endereço de Ubatuba.
    A minha mãe adorou e a Saudade de minha Terra, é 10.
    Abraços, da famia do Zé santeiro.
    Edna

    ResponderExcluir