Cliquem aqui, http://radiovitrolaonline.com.br/, acionem a Rádio Vitrola, minimizem e naveguem suavemente sem comerciais.

.- A ÁRVORE QUE O SÁBIO VÊ, NÃO É A MESMA ÁRVORE QUE O TOLO VÊ! William Blake, londrino, 1800.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Só vendo para crer

.
Sylvio, obrigado pelo envio deste vídeo.
.
Será que o Dr. Fagundo S. d'Oliveira se habilitaria a comentá-lo? Fica o desafio e saiam debaixo.
.


Este vídeo foi postado originalmente no dia 22/02/11, às 8,42, com uma provocação ao Dr. Fagundo S. d'Oliveira. Vejam aí seu irado e esperado comentário:
.
Assisti ao vídeo.

Sendo você profundo conhecedor do que penso a respeito de maus tratos aos animais, poderia ser elegantemente lacônico, politicamente correto, vaselina como político em campanha, e apenas dizer que achei um espetáculo de péssimo gosto e total desrespeito aos bichos indefesos, um desafio ao artigo 12 da Lei Federal que fala dos maus tratos aos animais.

“Na vida não existe nada mais desconfortável e perigoso do que ficar exposto à estupidez alheia!” – Roberto Pompeu de Toledo – Revista VEJA.

O vídeo é um espetáculo deprimente. Pelo barulho das palmas, deve ter sido exibido para uma platéia de idiotas, cretinos, oligofrênicos, imbecis, turba de desequilibrados mentais. Só essa classe de gente é capaz de achar bonito esse tipo de apresentação, ignorando o festival de atrocidades que os animais passam nas mãos de adestradores, domadores e outro bando de filhos do subproduto do cruzamento bastardo, que se aproveitam da omissão da sociedade, da lei, da depravação dos costumes, da insensibilidade da massa ignara, da falta de compaixão para com os indefesos, para exteriorizar o que existe de mais sórdido, torpe e abominável na sua capenga personalidade dementada.

Para fazer concorrência com essa bestialidade o populacho apresenta a “Farra do Boi” – onde o animal é agredido, espancado, tem o corpo perfurado, o ânus pincelado com pimenta, e o que mais as mentes enlouquecidas e destrambelhadas podem criar. Se assim não fosse, ele não sairia pulando, correndo esbaforido, dando sinais de que está passando por extremo desconforto e coação. A turba ignorante, com o #### cheio de cachaça, bate palmas e cada um dá sua contribuição de perversidade para a abominável manifestação da cultura popular!;

“Rodeio” – Já prestou atenção que eles nunca exibem na televisão o que é feito no animal antes dele adentrar a arena? Tem o cínico que diz que o cedem é apenas para fazer cócegas na região genital do touro, o choque elétrico é de pequena intensidade, apenas para despertar o animal, a pincelada de pimenta no ânus serve apenas para excitá-lo sexualmente!!

Se no lugar do touro estivesse o organizador da barbárie, tenho certeza que, após receber na pele tudo que o animal recebe, ele certamente sairia dançando frevo, ou executando performances como se estive se apresentando no Cirque de Soleil!

Paro por aqui, com o sugestivo palíndromo ODEIO RODEIO e todo tipo de perversidade para com os animais e indefesos.

Chegará o dia em que o sofrimento imposto aos animais, aos indefesos, aos incapazes, será considerado crime hediondo. Criminalmente estará no mesmo patamar dos atos de maus tratos infringidos às mulheres, crianças, deficientes, idosos e aos incapazes físicos e/ou mentais.

“Não há diferenças fundamentais entre o homem e os animais nas suas faculdades mentais... os animais, como os homens, demonstram sentir prazer, dor, felicidade e sofrimento.” – Charles Darwin (1809 – 1882) – cientista e naturalista inglês;

“Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante.” Albert Schwweitzer (1876 – 1965) – médico, teólogo, músico e filósofo alemão (Nobel da Paz – 1952);

“Não me interessa nenhuma religião cujos princípios não melhores nem levem em consideração as condições dos animais” – Abraham Lincoln;

“Não permitas que ninguém negligencie o peso de sua responsabilidade. Enquanto tantos animais continuam a ser maltratados, enquanto o lamento dos animais nos vagões de carga não seja emudecido, enquanto prevalecer tanta brutalidade em nossos matadouros... todos seremos culpados! Tudo o que tem vida tem valor como um ser vivo, como uma manifestação do mistério da Vida.” - Albert Schwweitzer

Sou obrigado a fazer uma ponderação e um adendo ao Nobre e Ilustre Médico: enquanto existir matadouro... todos seremos culpados!...

4 comentários:

  1. Caro Sergio,
    Seria interessante realizar uma pesquisa sobre as cabras Ibex (italianas) que escalam montanhas e barragens em busca de alimento. E elas não são "amestradas" para esse mister. Elas o fazem por sobrevivência. Também sou contra o uso de técnicas brutas para adestramento de qualquer animal que seja. Mas quero ser justo e, antes de qualquer comentário mais ácido a respeito do que se fez ou não se fez, é muito importante que as pessoas se cerquem de informações corretas. Não sei se é este o caso da cabra do "show" apresentado no filmete acima, mas é importante que se visite o site (através do Google) = obviousmag.org ou colocar na área de pesquisa a chave: cabras ibex, uma lição de otimismo.
    Um abraço,

    ResponderExcluir
  2. Dr. Fagundo S. d'Oliveira24 de fevereiro de 2011 11:47

    Alvíssaras ! Surgiu um comentário.

    Com todo respeito ao Dr. José Sylvio Simões Pinto, autor do livro “Os Dinossauros São Eternos”, lançado em noite de autógrafos na Livraria da Vila, no Shopping Cidade jardim, no dia 19/11/2010, tenho pleno conhecimento que as cabras, ao longo da sua evolução, são animais que se adaptaram a escaladas íngremes, atingindo pontos que os outros animais não conseguem atingir com a mesma desenvoltura. Utilizando o instinto que o Criador dos Seres e das Coisas lhes concedeu, usufrui essa capacidade para fugir dos demais predadores e/ou para buscar alimentos para sobreviver. Elas sabem utilizar com maestria esse dom; é algo que já está na sua genética. Tudo bem. Daí a ser utilizada em circos ou apresentações televisivas, é uma distorção, um abuso, uma exploração de péssimo gosto, para atender os interesses do apresentador e do deu$ cifrão. Ela solta na natureza, certamente deve executar proezas inimagináveis. Ótimo. Ela está livre, leve e solta na natureza. Agora essa de pegar o animal, levá-lo para confinamento, “adestrá-lo” utilizando expedientes que até Deus duvida, é uma outra história difícil de descer goela abaixo.

    Fica a ponderação, será que utilizaram métodos pouco ortodoxos com o bicho?

    É uma dúvida interessante ou no mínimo cruel. Pelo que vejo em todos os vídeos que circulam pela internet – procure ver o vídeo realizado com uma câmera escondida, intitulado “Circo dos Horrores”; por tudo que o Instituto Nina Rodrigues vive alertando, exibindo, denunciando; pela receita nefasta e deletéria, dada pelo dono de um famoso circo, que encantou gerações de criancinhas inocentes: ”Para adestrar um elefante e fazê-lo obedecer, utilize uma boa barra de ferro e malhe a sua carne, se preciso for, até apodrecer!”, sou obrigado a desconfiar profundamente desses adestramentos.
    continua

    ResponderExcluir
  3. Dr. Fagundo S. d'Oliveira24 de fevereiro de 2011 11:54

    continuação

    Pelo pouco que sei da vida, quem comete atrocidades nunca chama pessoas para assistirem as barbaridades que cometerão. Veja os estupradores. Por tudo que já vi na crônica policial e ao longo da vida, nenhum deles chamou pessoas para assistirem sua atividade criminosa. É tudo feito em surdina, sem testemunhas, mas com total leniência dos que deveriam coibir atrocidades! Todos querem aparecer bonitinho na fita!

    Com relação à interferência do homem na natureza, o Projeto TAMAR, através de um vídeo exibido no Fantástico, deu uma lição de conhecimento e respeito à natureza e ao equilíbrio ecológico. Ao supervisionarem a corrida das tartaruguinhas recém nascidas, em direção ao mar, a repórter exibindo certa preocupação, questionou se eles não iriam impedir que os predadores naturais, devorassem os pequenos animais, durante essa corrida. A bióloga respondeu: Nós temos que respeitar a natureza e a luta pela sobrevivência, de todas as espécies. A natureza tem suas regras, suas leis, só devemos interceder nos casos extremos, tal como fizemos quando elas estavam ameaçadas de extinção!

    Deus tem os seus desígnios. A natureza é apenas uma das manifestações da Sua infinita sabedoria e amor.

    Diante de tudo que leio e vejo na mídia, continuarei abominando qualquer exibição de animais em circos, programas de televisão, feiras de filhotes, rodeios, cavalhadas e qualquer outro episódio em que ele seja explorado em nome do deu$ cifrão, em total desrespeito à sua natureza.

    Deixemos Deus com seu Mundo. A televisão tem exibido constantemente a quantidade de animais que viviam em circos e foram abandonados nas jaulas, em condições deploráveis de vida, ao longo de estradas ou locais ermos.

    Atenciosamente

    Dr. Fagundo

    ResponderExcluir
  4. Dr. Fagundo,
    Meu objetivo foi apenas informar sobre as cabras Ibex e não polemizar, o que realmente não farei, mesmo porque sou contra a exploração de animais. Entes inocentes que, por não possuirem a capacidade do livre arbitrio, sofrem toda a sorte de atrocidades e estão sempre à merce deste animal, por vezes irracional, posto que ganacioso, chamado homem.

    ResponderExcluir